SEJA UM REVENDEDOR
  • Parcelamento em até 10x sem juros

  • Assine nossa newsletter e ganhe 10% de desconto na sua primeira compra. Clique aqui

Disponibilidade: Pré-Venda para 31/01/2022

Não é possível calcular o valor do Frete para o CEP informadoPrazo de entrega válido para pedidos feitos até as 22h00 com cartão de crédito e aprovado na primeira tentativa.

CD Vários Artistas - Sambas de Enredo RJ 2022

Ref :

26060244502082

Por: R$ 39,90ou X de

Opções de Parcelamento:
  • à vista R$ 39,90
  • 2X de R$ 19,95 sem juros
  • 3X de R$ 13,30 sem juros
  • 4X de R$ 9,97 sem juros
  • 5X de R$ 7,98 sem juros
  • 6X de R$ 6,65 sem juros
  • 7X de R$ 5,70 sem juros
  • 8X de R$ 4,98 sem juros
  • 9X de R$ 4,43 sem juros
  • 10X de R$ 3,99 sem juros
Outras formas de pagamento

Tabela de Medidas

-+
Comprar

Especificações

CentímetroMetroKilogramaGrama

Dimensões

CD Vários Artistas - Sambas de Enredo RJ 2022
Altura: 2,00 Centímetros
Largura: 12,00 Centímetros
Profundidade: 7,50 Centímetros
Peso: 120,00 Gramas

Outros produtos

Conheça esse produto

CD SAMBAS DE ENREDO DO GRUPO ESPECIAL - RIO CARNAVAL 2022 Até 2021, o carnaval havia sido adiado duas vezes na história: em 1892 e em 1912. Nos dois casos, o povo foi para a rua assim mesmo, e a cidade acabou tendo a folia duas vezes, na data original e na substituta. Não havia ainda o desfile das escolas de samba da forma organizada que surgiu nos anos 1930. Ou seja, o carnaval de 2022 será o primeiro na história das agremiações que demora dois anos para acontecer. Alguma dúvida de que será o maior de todos os tempos? Se existe, os sambas-enredo do Grupo Especial estão aí para dissolver qualquer questionamento. Como não podia deixar de ser, o mundo do samba – que sobreviveu à pandemia a duras penas, dando shows de solidariedade em lives e outras iniciativas, além de lamentar as partidas de mestres como Nelson Sargento, Dominguinhos do Estácio e Laíla – olha para si nos enredos e sambas do novo ano. A África, os orixás, as raízes do samba, Cartola, Delegado, Jamelão, Martinho da Vila… o samba agoniza, mas não morre. Não passa nem perto. A coleção histórica de sambas-enredo, produzida mais uma vez por Mario Jorge Bruno, começa com “Batuque ao caçador”, um raro enredo afro da Mocidade Independente de Padre Miguel: "Oxóssi é caçador de uma flecha só", canta o popstar Wander Pires, no samba de Carlinhos Brown, Diego Nicolau e parceiros. Em seguida, sem Nelson Sargento e Beth Carvalho, a Mangueira traz o céu estrelado de Angenor, José e Laurindo, que entraram para a história do samba e da cultura mundial como Cartola, Jamelão e Delegado. O enredo do carnavalesco Leandro Vieira, campeão em 2016 e 2019, ganhou um samba lírico de Moacyr Luz e parceiros, interpretado com a firmeza de sempre por Marquinho Art'Samba. Um dos momentos de maior emoção do carnaval – que, claro, será de choradeira do começo ao fim, é bom começar logo a hidratação – está garantido em "Minha vida é uma peça", homenagem da São Clemente ao ator e humorista Paulo Gustavo, morto de Covid em maio de 2021, aos 42 anos. Humor, irreverência e emoção: a cara da escola aurinegra de Botafogo, em samba de Cláudio Filé e parceiros, defendido por Leozinho e Maninho. A África volta à avenida pelo vermelho e branco de uma das agremiações a honrar com mais frequência o Continente Negro. Em "Resistência", enredo desenvolvido pela professora Helena Theodoro com o carnavalesco Alex de Souza, o Salgueiro fala como o povo negro se defende, resistindo às intempéries. O samba, raçudo como sempre, é assinado por Demá Chagas, Pedrinho da Flor e parceiros, nas vozes de Emerson Dias e Quinho do Salgueiro. Ainda pela Grande Tijuca, a Vila Isabel fala de seu maior patrimônio em "Canta, canta, minha gente! A Vila é de Martinho". Quem ainda não viu os vídeos do mestre, chinelos de dedo, cantando com os compositores André Diniz, Evandro Bocão e outros o que promete ser mais um momento de arrepiar na folia? De volta ao Grupo Especial depois do título arrasador de 2020 no Acesso, a Imperatriz é mais uma a olhar para si: Rosa Magalhães foi convocada para lembrar e homenagear um colega, a lenda Arlindo Rodrigues, em "Meninos, eu vivi… Onde canta o sabiá, onde cantam Dalva e Lamartine". Nas vozes de Arthur Franco e Bruno Ribas, a Imperatriz promete ser mais Imperatriz do que nunca na homenagem ao carnavalesco bicampeão pela escola em 1980-81. Corta para a Baixada Fluminense e mais um enredo de louvor à África: depois do sucesso com a história de Joãozinho da Gomeia em 2020, a Grande Rio vem com "Fala, Majeté! Sete chaves de Exu". O samba dos campeoníssimos Gustavo Clarão, Arlindinho e parceiros, na voz de Evandro Malandro, leva mais uma vez o terreiro para o asfalto: "Ô luar, ô luar, catiço reinando na segunda-feira/ ô luar, dobra o surdo de terceira". Sem sair do Continente Negro, o carnaval chega a Oswaldo Cruz e Madureira em “Igi osé baobá”, com que a Portela canta a história da milenar árvore africana e de toda a mística à sua volta, na voz de Gilsinho. Ainda no mundo místico, a Unidos da Tijuca vai de "Waranã – A reexistência vermelha", sobre a lenda indígena do guaraná. A bateria Pura Cadência, do mestre Casagrande, acompanha as vozes privilegiadas de Wictória e Wantuir. Alô, Niterói! A campeã Viradouro garante: "Não há tristeza que possa suportar minha alegria". Depois de dois anos sem desfile, alguém duvida? O samba sacudido, na voz de Zé Paulo Sierra, ilustra o enredo dos carnavalescos Tarcísio Zanon e Marcus Ferreira: "Tirei a máscara num clima envolvente/ Encostei os lábios suavemente/ E te beijei na alegria sem fim/ Carnaval, te amo, na vida és tudo pra mim". Um sonho. De Nilópolis vem mais glória ao povo preto: "Empretecer o pensamento é ouvir a voz da Beija-Flor", canta Neguinho da Beija-Flor, 45 anos de serviços prestados ao carnaval. A força da Baixada se confirma no samba de J. Velloso, embalado pela bateria dos mestres Rodney e Plínio. A coleção chega ao fim com a volta gloriosa de Paulo Barros ao Paraíso do Tuiuti: na escola de São Cristóvão em que apareceu para o carnaval, o mago também envereda pelos saberes negros em "Ka ríba tí ye – Que nossos caminhos se abram – O Tuiuti canta histórias de luta, sabedoria e resistência negra". O samba dolente do craque Cláudio Russo é defendido por Celsinho Mody e Nino do Milênio.

Zeca Pagodinho

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit, sed do eiusmod tempor incididunt ut labore et dolore magna aliqua. Ut enim ad minim veniam, quis nostrud exercitation ullamco laboris nisi ut aliquip ex ea commodo consequat. Duis aute irure dolor in reprehenderit in voluptate velit esse cillum dolore eu fugiat nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa qui officia deserunt mollit anim id est laborum. Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudantium.

Totam rem aperiam, eaque ipsa quae ab illo inventore veritatis et quasi architecto beatae vitae dicta sunt explicabo. Nemo enim ipsam voluptatem quia voluptas sit aspernatur aut odit aut fugit, sed quia consequuntur magni dolores eos qui ratione voluptatem sequi nesciunt.

Assine nossa newsleter e ganhe 10% de Descontopara usar na sua primeira compraClique aqui e assine!

Cadastro realizado com sucesso!

Use esse cupom ao finalizar seu pedido para ganhar seus 10% de desconto em sua primeira compra. Desconto válido uma vez por CPF.

universal20